Página:A voz do sino (Vicente de Carvalho, 1916).pdf/7

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Avoz do sino - Arabesque.svg

I

 

A voz do sino - Letra T.png

arde triste e silencioza

De vila de beira-mar:
Uma tarde cor de roza
Que vai morrendo em luar...

Ao lonje, a varzea scintila
De uns restos de sol poente;
Mas, por sobre toda a vila
— Do morro a que fica rente
Desce uma sombra tranquila —
E anoitece lentamente.