Página:Americanas.pdf/133

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A CHRISTÃ NOVA
119

Do seu Deus, confiada acceita a morte,
E guarda puro o sentimento interno
Com que o veu rasgará da eternidade?
O' Nazareno, ó filho do mysterio,
Se é tua lei a unica da vida
Escreve-m′a no peito; e dá que eu veja
Morrer commigo a filha de meus olhos
E unidos irmos, pela porta immensa
Do teu perdão, á eternidade tua!»