Página:As organizações no ciberespaço.djvu/56

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


não podia deixar de ser, possui interesses diversos e, portanto, reproduzem-se os mesmos interesses que são combatidos pelos divergentes do modelo neoliberal.

Nesse contexto, a sociedade atual orienta-se em face da razão instrumental, uma razão metódica, individualista e subjetiva voltada ao aspecto cognitivo e instrumental com o intuito da dominação do homem e da natureza. As relações sociais passam a se orientar por uma racionalidade baseada na lógica e na interpretação do conhecimento. Para Iarozinski (2000),

"a racionalidade cognitivo-instrumental ou razão instrumental caracteriza-se pelo distanciamento entre o sujeito e o objeto, por um sujeito tipicamente solitário, que visa a operação lógica dos conhecimentos, numa atitude calculista e metódica. Neste sentido, como ela é parcial, preestabelecida, pronta, absoluta e auto-suficiente, ela por si só se justifica e se perpetua. O grupo dominante aproveita esta visão parcial e unidimensional, para reforçar suas idéias e impor sua dominação. " (IAROZINSKI, 2000, p. 22)

Ainda de acordo com a autora, a razão instrumental reduz a riqueza dos fenômenos aos seus conceitos, regras e relações pré-estabelecidas, eliminando da realidade racional aquilo que não se ajusta aos seus princípios. A evolução dos conhecimentos, das linguagens e das tecnologias ficam dependentes desta racionalidade com princípios universais tidos como imutáveis e verdadeiros.

Segundo Habermas (2003), um sistema dos direitos que faça jus à autonomia pública e privada precisa contemplar os direitos fundamentais que os cidadão devem se atribuir mutuamente e ser implantado sob a ótica de alguém que se encontra fora do processo participativo. Para tanto, o autor propõe um modelo de ação ao cidadão que busca sua emancipação no processo de participação e não seja limitado ao racionalismo instrumental.

De acordo com Habermas, os homens são capazes da ação e utilizam-se da linguagem para se comunicarem. A ação comunicativa é a forma de interação social em que as ações de diversos atores se coordenam através de atos comunicativos, especialmente da linguagem, sob uma orientação para o entendimento comum. Nesse sentido, o autor busca uma racionalidade existente no mundo da vida, baseada