Página:As relações luso-brasileiras.pdf/77

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
75

O entreposto em Lisboa para abastecer a Europa! Como se todas as nações estivessem desprovidas de portos e a marinha mercante fosse exclusivo português…

A incuria dos nossos governos é proverbial. A falta de curiosidade basta para explicar essa incuria em pessôas tomadas da mania politicante.

Se assim não fôra, saber-se-ia em Portugal que, tendo o governo do Brasil organisado um «serviço de propaganda e expansão economica», lhe estabeleceu quatro delegacias; que a 4.ª delegacia, com séde em Barcelona, tem jurisdicção na Hespanha e Portugal; que, portanto, na propria península iberica, o Brasil prevê mais possibilidade de expansão economica na Hespanha do que em Portugal…

É o que nos parece logico inferir da escolha da sede da 4.ª delegacia.

A proposta o sr. Consiglieri nada offerece ao Brasil, alem do serviço de lhe evitar o perigo da desnacionalização. O perigo não existe; logo, o serviço reduz-se a zéro.

Dir-se-á: «E a emigração?»

A emigração — eis o que realmente damos ao Brasil.

A emigração é um mal necessario: quem não tem trabalho remunerador no paiz, vae arranjal-o fora do paiz, e, de lá, acóde ao nosso deficit economico.

Sendo assim, nem a propria emigração pode constituir base de um accordo commercial porquanto ao Brasil, que precisa de trabalhadores, não assusta a

idea de a prohibirmos.


    exportação do Brasil chegado a mais de quinze milhões de saccas de café, a exportação diaria, excedente de quarenta mil saccas, ia além da carga habitual de dois dos cargo-boats que faziam esse transporte.