Página:Chrysalidas.pdf/139

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Que valem glorias vãs? A gloria, a melhor gloria
É esta que nos orna a poesia da historia;
É a gloria do céu, é a gloria do amor.
É Tasso eternisando a princeza Leonor;
É Lydia ornando a lyra ao venusino Horacio;
É a doce Beatriz, flor e honra do Lacio,
Seguindo além da vida as viagens do Dante;
É do cantor do Gama o hymno triste e amante
Levando á eternidade o amor de Catharina;
É o amor que une Ovidio á formosa Corinna;
0 de Cynthia a Propercio, o de Lesbia a Catullo;
O da divina Delia ao divino Tibullo.
Esta a gloria que fica, eleva, honra e consola;
Outra não ha melhor.
        Se faltar esta esmola,
Corinna, ao teu poeta, e se a doce illusão,
Com que se alenta e vive o amante coração,
Deixar-lhe um dia o céu tão azul, tão tranquillo,
Nenhuma gloria mais ha de nunca attrahil-o.
Irá longe do mundo e dos seus vãos prazeres,
Viver na solidão a vida de outros seres,
Vegetar como o arbusto, e murchar, como a flor,
Como um corpo sem alma ou alma sem amor.