Página:Chrysalidas.pdf/24

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
- 22 -


Ante esta voz que as dores adormece,
E muda o agudo espinho em flor cheirosa,
Que vales tu, desillusão dos homens?
        Tu que pódes, ó tempo?
A alma triste do poeta sobrenada
        Á enchente das angustias;
E, affrontando o rugido da tormenta,
Passa cantando, alcyone divina.

        Musa consoladora,
Quando da minha fronte de mancebo
A ultima illusão cahir, bem como
        Folha amarella e secca
Que ao chão atira a viração do outono,
        Ah! no teu seio amigo
Acolhe-me, — e terá minha alma afflicta,
Em vez de algumas illusões que teve,
A paz, o ultimo bem, ultimo e puro