Página:Contos Populares Portuguezes colligidos por F. Adolpho Coelho.pdf/55

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 19 —
X
O RABO DO GATO

Era de uma vez um gato que foi ao barbeiro para que lhe fizesse a barba. O barbeiro disse ao gato: — «Se tu tivesses o rabo mais curto ficarias muito mais bonito.» Disse-lhe o gato: — «Pois corta-lhe um bocado.» Cortou o barbeiro o rabo do gato e elle foi-se embora; mas no meio do caminho disse para comsigo: — «E o barbeiro que me ficou com o meu rabo! Deixa-me ir pedir-lh’o.»

Foi ter com o barbeiro e disse-lhe: — «Dá me o meu rabo, senão furto-te uma navalha.» Como o barbeiro lhe não desse o rabo, furtou-lhe a navalha.

Foi-se o gato por ali fóra e viu uma peixeira que não tinha faca para cortar o peixe e disse-lhe: — «Toma lá esta navalha.» Mais adiante voltou atraz e disse á peixeira: — «Dá cá a navalha, senão furto-te uma sardinha.» Como a peixeira lhe não desse a navalha, furtou-lhe a sardinha.

Foi se e mais adiante viu um moleiro a comer pão secco e disse-lhe: — «Toma lá esta sardinha.» Mais adiante voltou atraz e disse ao moleiro: — Dá cá a minha sardinha, senão furto te uma taleiga de farinha.» Como o moleiro já tivesse comido a sardinha, furtou-lhe a taleiga de farinha.»

Foi o gato ter a uma mestra de meninas que não tinha que lhes dar á merenda e disse-lhe: — «Toma lá esta taleiga de farinha para papas.» Mas depois arrependeu-se e voltou atraz e disse á mestra: — «Dá cá a minha taleiga de farinha, senão furto-te uma menina.»

Saiu com a menina e foi ter com uma lavadeira e disse-lhe: — «Tu estás a lavar a roupa sosinha; toma lá esta menina para te ajudar.» Deixou ficar a menina,