Página:Contos Populares do Brazil.pdf/109

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


sua tenda. O rei mandou ficar tropa á espreita e disse á filha: «Se elle esta noite sonhar como hontem, me avisa que elle será preso e morto.» O discipulo de Gurumete soube d'isto e o avisou: «Olhe que você está p'ra levar a carepa, se esta noite sonhar com cousas da tenda, como na noite passada; não beba hoje nada; e quando fôr p'r'a cama finja que está dormindo e sonhando com uma guerra, grite aos soldados, pegue na espada, risque pelas paredes, e deixe estar.» Assim fez.

Na cama fingiu que dormia, poz-se a gritar, commandando as tropas, pegou na espada e quasi feriu a princeza que teve um grande susto. O rei, que ouviu isto, ficou muito satisfeito e reprehendeu a filha, dizendo: «Estás casada com um grande homem, um valente guerreiro, e me andas com historias de sapateiro! não me repitas outra.» D'ahi por diante Gurumete dormiu em paz, sonhando sempre com suas solas e sapatos.




XIX


Manoel da Bengala


(Sergipe)


Uma vez um rei teve um filho que nasceu logo muito grande e robusto. No fim de oito dias já o menino comia um boi inteiro. O rei ficou muito assustado e mandou chamar os conselheiros para lhe dizerem o que se havia de fazer, pois aquelle filho lhe acabava com toda a fortuna. Os conselheiros foram da opinião que o rei mandasse o filho procurar a sua vida. O principe pediu que lhe mandasse fazer uma bengala de ferro muito grossa e pesada, um machado e uma fouce tambem grandes e pesadas, e partiu.

Chegando a casa de um senhor de engenho, pediu