Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/18

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


existem entre ellas differenças conforme a narrativa é maravilhosa, anedoctica ou moral; em todos os povos europeus destacam-se estas trez cathegorias, como na Allemanha o MARCHEN, a que correspondem o Conto, Cuento, Conti ou Racconti das nações romanicas, e os Tales da Inglaterra; depois o SAGEN, ou a nossa Lenda, Historia, Storie, e com intuito moral o Exemplo, Exempi, Consejas; por ultimo o SCHWANK, a que correspondem as nossas Facecias, Patranhas, Ditos, Chistes e Contrafavole. Uma grande parte d’estas designações novellescas tomou sentidos especiaes; as Lendas tornaram-se agiologicas, os Exemplos converteram-se em sermões parabolicos, as Fabulas e Novellas tornaram-se exclusivamente litterarias, os Ditos entraram na exploração das encyclopedianas, vindo por ultimo as narrativas tradicionaes a serem designadas por uma expressão geral mas caracteristica.

Sobre esses trez typos Novellescos classificamos os complicados elementos da nossa collecção, separando os contos de evidente caracter mythico para um lado, as facecias para outro, e destacando os Exemplos de thema tradicional e fórma litteraria em que houve um manifesto intuito moral. A importancia d’estes elementos da tradição popular resulta do seu estudo comparativo, por onde se vê que a humanidade elaborou em todos os pontos do globo, entre differentes raças e diversos gráos de civilisação, um certo numero de themas phantasistas com que exprimiu as suas concepções dos phenomenos cosmicos e moraes. É incalculavel a somma de materiaes bibliographicos que existe hoje em todas as litteraturas para este processo comparativo.

A erudição sobre a Novellistica comparada está feita e ao alcance de todos; as notas opulentissimas de Reinhold Köhler, ás collecções das Novellas sicilianas de Laura Gonzemback, ás de Widter e Wolf, ás de Bladé e ás de Stephanovic, prestam-se a pôr em caminho todos os que