Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/278

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— E depois? O que aconteceu ao pastor?

— Esperem que os carneiros estão passando.

(E assim se logram as crianças, com a mesma resposta que os põe á espera.)




119. LENDA DO PARAISO

Deus creou o homem e collocou-o no paraiso, e ao fim de dias appareceu-lhe e perguntou:

— Como te dás por cá?

— Sópra-me da banda do norte, e tenho muito frio.

Deus fez-lhe um muro que o guardava dos ventos do norte. A cabo de dias tornou-lhe a apparecer e perguntar:

— Como te dás por cá?

— Sópra da banda do sul, e ainda tenho frio.

Deus fez-lhe outro muro. Ao cabo de dias appareceu-lhe e fez a mesma pergunta:

— Chove-me agora em cima.

Deus cobriu os muros com um tecto, para o abrigar das chuvas.

Tornou-lhe depois a apparecer.

— Como te dás agora?

— Estou sósinho entre estas quatro paredes; muito triste por estar sósinho.

Então Deus deu modo a arranjar-lhe uma companheira. Tornou-lhe a apparecer.

— Não tenho que comer, nem que dar á minha companheira.

Deus fallou á terra, para ella dar de comer ao homem.

A terra respondeu:

— Só lhe darei de comer, se o homem me tornar o que receber de mim.

Foi assim que o homem ficou sujeito a ser tambem comido pela terra.

(Tentugal.)