Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/280

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Pilatos retirou-se absolvido. Ao fim de tempo as accusações continuaram a accumular-se, e Pilatos foi chamado de novo para ser julgado pela iniquidade que commettera. Trouxe outra vez a tunica vestida, e ninguem achou palavra que dizer contra elle. Foi então que elle confessou que o defendia a tunica que trazia vestida, que pertencera a Jesus, a qual desde criança crescêra com o seu corpo. Pilatos foi absolvido e o senado deixou que se fallasse da doutrina de Jesus.

(Ilha de S. Miguel.)




122. O PRINCIPE MENDIGO

Um principe encontrou uma rapariga muito linda e apaixonou-se por ella. Tornou-se tão grande o seu amor, que resolveu desposal-a e foi pedil-a ao pae. O pae era um mendigo, que pedia na estrada; quando ouviu o pedido do principe, disse-lhe que não acreditava na sua tenção, senão só no caso d'elle fingir-se mendigo e andar pedindo esmola um anno. O principe acceitou a condição e vestiu-se com os andrajos, botou ao hombro a sacóla, encostou-se ao bordão e partiu a mendigar. Ainda não era passado o anno, quando o mendigo pae da rapariga, lhe disse que acreditava n'aquella prova e que podia casar com a filha. Então o principe respondeu:

— Que achava agora mais gosto em andar pedindo, do que mesmo ser principe e do que casar com a mulher mais linda do mundo. E assim continuou e veiu a acabar na vida de pedinte.

(Ilha de S. Miguel.)




123. O LAVRADOR E O ERMITÃO

Christo ia pelo mundo com Sam Pedro. Passaram por um campo, onde estava trabalhando um lavrador que ro-