Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/323

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


as cousas que lhe forom mester e honrraromno mentre foy uiuo; e morreu em seu poder. E depois se combateo elrrey de França com ambos os cunhados de ssa molher e tolheolhes as terras.

(Port. Mon. historica (Scriptores), Livros de Linhagens, p. 238.)




127. A DAMA PÉ DE CABRA

Dom Diego Lopez era muy boo monteyro, e estando hum dia em sa armada e atemdendo quando verria o porco ouvyo cantar muyta alta voz huma molher em çima de huma pena: e el foy pera lá e vio seer muy fermosa e muy bem vistida, e namorousse logo della muy fortemente e pergumtoulhe quem era: e ella lhe disse que era huma molher de muito alto linhagem, e ell lhe disse que pois era molher dalto linhagem que casaria com ella se ella quisesse, ca elle era senhor d'aquella terra toda: e ella lhe disse que o faria se lhe prometesse que nunca sse santificasse, e elle lho outorgou, e ella foisse logo com elle. E esta dona era muy fermosa, e muy bem feita em todo seu corpo salvando que avia hum pee forcado como pee de cabra. E viverom gram tempo e ouverom dous filhos, e hum ouve nome Enheguez Guerra e a outra foy molher e ouve nome dona

E quando comiam de suum, dom Diego Lopez e sa molher assentava ell a par de sy o filho, e ella assentava a par de ssy a filha da outra parte. E huum dia foy elle a seu monte e matou hum porco muy grande e trouxeo pera sa casa, e poseo ante ssy hu sia comendo com ssa molher e com seus filhos: e lançaram hum osso da mesa e veerom a pellejar huum alaão e huma podenga sobrelle em tall maneyra que a podenga travou ao alaão