Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/379

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


tenho cuidado tudo o que heide dizer e fazer para livrar a vossa vida e a minha da affronta presente.

E isto foi feito com tanto segredo e resguardo, que ninguem na casa o soube nem suspeitou. E o fingido Commendador começou passear á porta da camara donde el Rey dormia, e tanto que sentira estava vestido, lhe mandou recado, estava ali para lhe dar a reposta do que sua alteza perguntara hontem. El Rey folgou d'isso, e sahiu para fóra a hum corredor que ali se fazia, que ia ter sobre a horta, e postos ali ambos disse o hortelão fingindo ser o Commendador:

— Hontem perguntou vossa alteza tres perguntas a que respondendo digo: que quanto á primeira, que é — D'onde está o meyo do mundo? lhe affirrno que está ali. (E lançando mão de um arremessão de murtos que n'aquelle corredor estavam o pregou na horta fazendo com elle fermoso tiro.) E para provar isto digo, que o mundo é redondo, e ninguem diz o contrario, e sendo tal como é, em qualquer parte é o meio d'elle, como se pode ver em uma bola redonda, a qual donde lhe puzerem o dedo é o meio d'ella. Está vossa alteza n'isto satisfeito?

El Rey disse:

— Dizei das outras!

E elle respondeu:

A segunda pergunta é — Quanto ha d'aqui da terra ao céo? Saiba vossa alteza que isto tem medida egual e é uma vista de olhos. Abaixe os olhos ao chão, e logo alevante-os ao céo, que com uma só medida chegam, que é como digo, uma vista de olhos.

El Rey lhe disse:

— Bem respondestes; livre estaes das duas; porém a terceira, tenho para mi, que nunca acertareis.

E elle lhe disse:

— A essa, melhor; porque a terceira é que heide dizer, que é o que vossa alteza cuida no seu coração a esta hora de agora? E porque isto não tem outro juiz senão