Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/440

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— Pois deixa estar que toda a gente te ha-de vêr.

Depois Deus collocou na Lua o homem com o mólho de silva ás costas. É elle que, andando lá, produz as manchas.

(Freixo, Carrazeda de Anciães, etc. — L. de Vasconcellos, Vanguarda n.º 24.)




192. OUTRA


A Lua era mais linda do que o Sol. O Sol queria casar com ella, mas a Lua não lhe dava cavaco. Elle então despeitado atirou-lhe á face com cinza, e ella a elle com agulhas de costura.

A Lua ficou sem brilho, e o Sol cheio de raios. Ainda nos eclipses é o Sol que batalha com a Lua.

(Porto, Vimieiro, Leça do Balio, Famalicão, Carrazeda, Torre de D. Chama. — Ibidem.)



193. LENDAS DE FEVEREIRO

Uma vez o Fevereiro pediu a Março uma tigela de papas; disse o Março:

— Só se tu me emprestares trez dias.

Fevereiro cahiu n’essa, e d’ahi em diante ficou com vinte oito dias e o Março com trinta e um.




Dizia a velha dos bezerrinhos:

— Vae-te, meu Fevereiro curto,
Que cá ficam os meus bezerrinhos
Todos uito.