Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/450

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


217. LENDA DA CODORNIZ

Quando a Virgem ia de Belem para Nazareth a codorniz levantou o vôo e fez bulha; a Senhora amaldiçoou-a para que não podesse pousar em arvore nenhuma.

(Cabo Verde.)




218. OUTRA

Indo Nossa Senhora a fugir para o Egypto com o seu filho, a codorniz levando o vôo dianteiro gritava: Cá vae! A Senhora vendo que ella a denunciava, condemnou-a a andar rasteira, sem erguer vôo nem sorrir para o sol.

(Açores.)




219. LENDA DA ARVELINHA

Quando ia de fugida para o Egypto a Virgem com o Menino, a arvelinha ia atraz apagando as pégadas com o rabinho. Então Nossa Senhora abençoou-a, dando-lhe o poder de matar o milhafre mettendo-se debaixo das azas.

(Açores.)


220. O BALIDO DA OVELHA

Quando a Virgem ia para o Egypto, andava a ovelha no monte a berrar: Belem! Belem! A Virgem não queria que ella berrasse para se não saber que ella ia ali, e a ovelha continuava sempre a dizer aquillo. A Virgem Ma-