Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/470

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


vella dinamarqueza de Grandtovig. (Stanisláo Prato. Quattro novelline, p. 156 e 157.) Sobre as origens mythicas indo-europeias d'este Conto, vide Gubernatis, Piccola Enciclopedia indiana, p. 175, em que discute a simultaneidade da representação da Aurora e da Nuvem que desapparecem quando o Sol se mostra. Este cyclo do Amor e Psyche foi estudado por F. Liebrecht, Zur Volkskunde (Amor und Psyche). Na versão do Algarve ha o episodio do corpo que cae aos pedaços, para experimentar a coragem da menina; é commum a varios contos, e acha-se na lenda de Athenedoro (ap. Alexander ab Alexandro, lib. III, cap. 12), que o padre Manuel Consciencia traduziu na sua Academia Universal de Erudição, p. 545.


3. O surrão. — A lenda christã de S.ta Margarida, engulida por um Dragão, representa a luz solar escondida pela noite. Pertence a este cyclo, como observa Tylor, a historia do Petit Chaperon rouge, em França e Inglaterra: «Na Allemanha as velhas conservam-no com toda a sua pureza. Segundo a sua narrativa, o lobo engole a encantadora criança, vestida com o seu brilhante manto de setim vermelho, e a sua avó; mas ellas sabem incolumes da barriga do animal que um caçador abriu emquanto elle dormia. Acha-se um conto parecido na collecção de Grimm, em que se pode egualmente reconhecer o mytho do sol. Como no Petit chaperon rouge, abre-se a barriga do lobo e enche-se-lhe de pedras.» Tylor, Civilisation Primitive, t. I, p. 390. Apparece em francez nos Contes populaires lorrains de Emm. Cosquin, L'homme au pois; e em Fernan Caballero, El zurron que cantaba. Sobre o caracter mythico d'este conto, applicamos o dito de Gubernatis:

«O sacco representa um importante papel na tradição do heroe escondido ou perseguido; este sacco é a Noite, ou a nuvem (o inverno), etc.» Mythologie Zoologique, t. I, p. 255 e seg. E em outra passagem, acrescenta : «Acha-