Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/511

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


lha de pereiro. A mãe de S. Pedro é uma locução proverbial em toda a Sicilia, Veneza, Toscana, Frioul, etc. (Vid. Revue des Deux Mondes, de 15 de Agosto de 1875, p. 843.)

Adiante, sob o n.º 215, reapparece o typo popular de S. Pedro em um genero de contos muito vulgares em Andalusia com o titulo de Susedios.


123. O lavrador e o Ermitão. — O sr. Leite de Vasconcellos traz na revista El Folk Lore andaluz, (ann. I, n.º 5, p. 176) uma variante d'esta lenda colhida nas Duas Egrejas, do concelho de Mirandella, servindo de paradigma a uma versão andaluza de Rodriguez Marin, publicada no Folk Lore andaluz, n.º 2, p. 31-33.


124. O thesouro enterrado. — Acha-se uma versão de Celorico de Basto publicada na Revista de Ethnologia e Glottologia, p. 170. O sr. Sylvio Romero, na sua collecção de Contos populares do Brazil, tral-o com o titulo O ouro dos Maribondos, tendo sido anteriormente publicado na Revista brazileira.


125. As vozes dos animaes. — Ha uma outra versão colligida pelo sr. Sequeira Ferraz; e uma versão franceza, intitulada: Les musiciens voyageurs (Vieux Contes, p. 17, Paris, 1830); tambem nos Contes populaires de la Grande Bretagne, p. 306, trad. de Bruyere. Nos Contos dos irmãos Grimm, vem com o titulo Os musicos da cidade de Brême (Contes choisis, trad. Baudry, p. 313).


Pag. 224. Ditados novellescos. — Nas tradições populares são frequentes estes estribilhos iniciaes e finaes. Colhemos alguns da collecção de Leite de Vasconcellos, no Folk Lore andaluz, p. 214. Rodriguez Marin, nos Contos populares españoles, t. V, p. 46, traz as seguintes fórmulas iniciaes: Era vez y vez, Erase que se era, que nos parece analoga á fórma insulana: Era, não era, no