Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/99

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Dansando t’o dou, dansando m’o hasde dar;

E se m’o não deres, a vida te hade custar.

E ella respondeu-lhe:

Dansando o recebi, dansando o heide dar;

Tambem heide ser rainha e no seu reino reinar.

Acabado o serão Maria da Silva foi para o seu quarto, e uma criada comprada pelo tal rei, roubou-lhe o annel, e deitou-o ao mar. Maria da Silva ficou muito triste, quando viu que tinha perdido o annel, e que não podia mais dar conta d’elle; estava á janella quando viu em um quintal uma criada a amanhar um peixe. Correu lá, e viu luzir no bucho do peixe o annel; tirou-o, voltou para o palacio. Á noile ao serão o rei tornou a dansar com ella e a repetir as mesmas palavras. Maria da Silva mostrou-lhe o annel e repetiu as palavras que dissera na vespera. Então o rei ficou muito admirado, e disse:

— Já que ninguem póde fugir á sua sorte e tens de ser minha mulher e rainha, já gosto de ti, e hoje mesmo se façam as bodas.

(Algarve.)


16. A ROSA BRANCA NA BOCCA

Um homem muito abastado veiu a cahir em pobreza pelos seus desvarios; como tinha dado uma boa educação ao filho, este sabia tocar muitos instrumentos e para ganhar a sua vida foi por esse mundo além. Chegou a uma terra e parou diante de um palacio onde se estavam tocando peças de musica muito lindas. Deixou-se ali ficar sem comer nem beber. O dono do palacio vendo aquelle homem parado na rua, perguntou-lhe o que queria. Elle disse que tambem gostava muito de musica; o homem mandou-o entrar para vêr se elle tambem sabia tocar.