Página:Da França ao Japão (1879).djvu/232

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
DA FRANÇA AO JAPÃO
177

chimbos de bronze e outros muitos objectos de uso profano; do outro, largas fitas de seda encarnadas, um par de velhas sandalias, uma vestimenta completa e um sabre tinto de sangue.

Quanto as imagens, são toscos desenhos sobre seda, e um pequeno quadro, representando uma japoneza ainda joven.

No jardim, que rodeava o velho templo, encontramos algumas aves, das quaes o maior numero consistia em patos e gansos. Quando apeamo-nos dos nossos animaes e os confiamos aos tocadores, especies de pagens que a pé acompanhão as cavalgaduras, vimos um grupo de japonezas, ainda jovens, que nos saudárão com sua costumada delicadeza, e dirigirão-se ao templo.

Ao chegarmos, grande foi nossa admiração, quando as vimos no interior do templo a almoçarem tranquillamente as iguarias preparadas, que trouxerão em caixas de charão. Convidarão-nos a compartilhar do seu almoço, e como recusassemos, uma dellas deu-nos cachimbo e fumo, pedindo-nos que aceitassemos e que delles nos servissemos emquanto comião.

Não houve remedio senão aceitarmos por comprazer o offerecimento; e como um dos nossos pagens entendesse o inglez, ligamos com ellas conversação; e eis, mais ou menos, e salva a redacção, o que ellas nos disserão a respeito do templo do Deus do amor.

«No tempo do Taicúno Yéyeas, disse uma dellas que parecia a mais idosa, um daïmio, amou a mulher de um grande ministro e seu amor foi correspondido. O ministro do Imperador, encontrou um dia o joven cavalleiro aos pés de sua mulher e como fosse seu parente e não querendo infamar o nome de familia, ordenou que elle matasse sua amante e em seguida se suicidasse. O daïmio, comprehendendo então, quanto fôra traidor á amizade e a confiança que nelle depositava seu parente, jurou que se castigaria severamente, porém pedia ao grande ministro para receber sua mulher e perdoar sua falta.»

Compadecido, o ministro ouvio pesaroso esta supplica e perdoou a ambos; porém, o daïmio abandonou a corte do Imperador, visitou todos os lugares onde teve entrevista com

sua amante, e ajudado pelos seus servos, mutilou seus membros,

12