Página:Descrição de uma viagem a Canudos.pdf/72

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
46
Martins Horcades



os quotidianos, cumpre registrar, porque mortos havia todos os dias e a media era de 10 a 15.

Entra o mez de setembro e logo no começo, no dia 5, morre um dos chefes do reducto.

No dia 6 um facto importantíssimo é celebrado por todos: ás 12 horas do dia ruira uma das torres da egreja nova e ás 6 horas da tarde do mesmo dia a outra perdera a bella conformação e já era escombro. Achavamos-nos, pois, livres de uma das mais ou da mais poderosa fortaleza que possuiam os nossos inimigos.

Outro ainda de muita importancia dá-se no dia 7, ás 9 horas da noite, devido aos esforços do distincto offícial, que dirigiu o feito.

De ha muito o Coronel Olympio da Silveira insistia com o General em chefe para tomar um ponto, talvez a chave de Canudos, mas este não queria; finalmente nesse dia, o Coronel, impacientado, avisou-o da necessidade de tomar-se aquella vantajosa