Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/102

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


- A gloria: saudação á feliz inauguração do instituto dos bachareis em lettras; Rio de Janeiro, 1864.

- Bibliotheca do intstituto dos bachareis em lettras, publicada sob a direcção e redacção de Anastacio Luiz do Bom-succeso. Rio de Janeiro, 1867 - Contém além do relatorio dos trabalhos, um discurso do presidente do instituto padre Antonio Maria Correia de Sá e Benevides, proferido na sessão magna de inauguração a 2 de julho de 1867 ; diversas peças relativas á mesma inauguração; o Pulpito no Brazil, estudo do doutor Benjamin Franklin Ramiz Galvão e

- Quatro vultos: ensaio de biographia e critica - Refere-se o autor aos quatro poetas brllzileiros, Antonio Gonçalves Dias, Luiz José Junqueira Freire, Laurindo Jose da Silva Rabello e Antonio Manoel Alvares de Azevedo.

- Versos de Cisnato Luzio. Rio de Janeiro, 1881 - E' um pequeno opusculo, contendo trinta sonetos, a que o autor dá o titulo de Photographias.

- O sol e a historia: fabula (ao Barão de S. Felix.) - Vem na Democrotema commemorativa do lyceu de artes e officios. Rio de JaReiro, 1882, pags. 74 e seguinte.

- Trabalhos lidos em diversas sessões do instituto dos bachareis em lettras, pelo socio Anastacio Luiz do Bom-successo. Rio de Janeiro, 1875, 39 pags. in-4º.- Contem dous discursos e algumas fabulas.


André de Albuquerque - Filho de Antonio Leitão de Vasconcellos, fidalgo da casa real, e de dona Catharina de Albuquerque e Mello, nasceu, não em Cintra e a 21 de janeiro de 1621 como diz Innocencio da Silva que lhe accrescenta o appellido de Ribafria, mas em Pernambuco, e em 1620, como prova a toda evidencia o autor do Diccionario biographico de pernambucanos celebres, e falleceu a 14 de janeiro de 1659 na batalha das linhas de Elvas.

Assentara praça de soldado em sua patria, e depois de combater contra os invasores della, seguiu para Portugal, onde pelos degraus do valor e não da valia subiu a todos os postos até o de general, pugnando nas fileiras do execito restaurador desde o grito da revolta de 1 de dezembro de 1640 e acclamação de dom João IV, sahindo victorioso de diversos combates. Indicava elle com seu bastão na batalha, em que succumbiu, a maneira de escalar a estacada de um forte, quando cahiu, atravessado o peito por uma bala do inimigo, no posto de mestre de campo general, e com o titulo de primeiro.

Era commendador da ordem de Christo e alcaide-mór de Cintra.

Escreveu:

- Relação da victoria que alcançou do Castelhano André de Albuquerque, general da cavallaria, etc. entre Arronches e Assumar, em 8 de novembro de 1653. Lisboa, 1653, in-8º - Talvez não exista no Brazil este opusculo, que o autor escreveu com um ferimento recebido na batalha, cuja victoria relata.