Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/139

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


No almanak da mesma Gazeta para 1882 vem reproduzida esta poesia a pags. 132 e 133, e mais as tres seguintes:

- O paradoxo. Entre as arvores (a Fontoura Xavier). Os ferreiros, soneto ( a Assis Brazil) - pags. 186 a 187, 189 a 191, e 200.

Como cultor da musica, Augusto de Lima tem diversas composições de gosto e expressão.


Antonio Augusto de Mendonça - Nascido na cidade da Bahia a 19 de maio de 1830, sendo filho legitimo de Antonio Augusto de Mendonça, falleceu na mesma cidade a 14 de agosto de 1880, victima de uma affecção chronica do figado.

Ainda muito moço, faltando-lhe seu pae, e tendo imperiosa necessidade de tomar sob sua protecção sua triste mãe e seus irmãos, sem bens de fortuna, sem outra herança mais, do que a de proteger sua familia, o meio mais prompto, bem que insufliciente, que se lhe offereceu para isso foi entrar para o funccionalismo publico de sua provincia com um pequeno emprego no thesouro provincial, d'onde passara a exercer outros até o de secretario do mesmo thesouro, em que se aposentou em janeiro de 1880, com 33 annos de bons serviços.

Antonio Augusto de Mendonça foi sempre dedicado as lettras, poeta repentista, e um dos poetas lyricos mais distinctos que o Brazil tem produzido. Delle escreveu com toda razão o autor das Ephemerides da Gazeta de Noticias do Rio de Janeiro:

«Rival de Gonçalves Dias na pureza de linguagem, na espontaneidade de imaginação e na melodia do verso, sua excessiva modestia tornou quasi desconhecido seu nome. Aquelle, vivendo n'um circulo mais amplo de relações sociaes, soube tornar seu nome popular no Brazil e em Portugal, onde teve por padrinho no baptismo das lettras o grande historiador portuguez. Mendonça, menos apparatoso, menos communicativo, mais timorato, retrahiu-se do grande clarão da publicidade, e não Viu seu nome estender-se alem das montanhas historicas da terra natal; não tove assim a consagração que a publicidade confere aos que pelo talento a merecem. »

Escreveu:

- Diversas poesías - em muitos jornaes e periodicos litterarios da Bahia; entre ellas as quatro seguintes:

- O poeta: poesia de metrificação variada - Nos talentos brazileiros, 1º volume, 1850, pags. 3 a 7.

- Illusão: idem- Na mesma collecção, pags. 110 a 113.

- Canto heroico ao memoravel día dous de julho de 1850 - Na mesma collecção, pags. 121 a 127. Sobre este assumpto ha composições suas capazes de formar um volume.

- O meu anjo: poesia de metriticação diversa - Idem, pags. 265 a 269. Neste volume se veem tambem deste autor as seguintes composições: Pedido. O poeta desterrado, As estrellinhas. Meu tumulo. Os