Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/158

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Antonio de Castro Lopes — Nasceu na cidade do Rio de Janeiro a 5 de janeiro de 1827, sendo seus paes o doutor Domingos Genesio Lopes de Araujo e dona Amalia Honoria de Castro Araujo.

Formado em medicina pela faculdade da côrte em 1848, no anno seguinte foi nomeado profesor de grammatica latina do imperial collegio de Pedro II; em 1854 passou a exercer o lagar de official da secretaria de estado dos negocios da fazenda; em 1859 foi transferido para a secretaria dos negocios estrangeiros; foi deputado à assembléa provincial do Rio de Janeiro na legislatura de 1854 a 1855; fundador do banco predial do Rio de Janeiro, e de outras associações comrnerciaes, que deixou, e se acha actualmente exercendo a clinica homœopathica na cidade de seu nascimento. E' cavalleiro da ordem de Christo, poeta, e, um dos primeiros latinistas que o Brazil tem produzido, escreveu:

Dissertação acerca da utilidade da dór: these apresentada á faculdade de medicina do Rio de Janeiro em 16 de dezembro de 1848, Rio de Janeiro, 1848.

Abamoacara: tragedia em quatro actos, approvada pelo conservatorio dramatico, etc. Rio de Janeiro, 1847, 100 pags. in-8º — Esta tragedia foi escripta, sendo o autor estudante.

Ode saphica em latim por occasião do nascimento do principe imperial dom Affonso — Sahiu na Minerva Brazileira, 1847.

Zig-zag: (artigos humoristico ) — publicados no Jornal do Commercio sob a firma O. O. S. 1855. Por esse tempo escreveu o doutor Castro Lopes muitos trabalhos em diversos jornaes e revistas, sendo destes trabalhos os tres que se seguem, e ontros que mencionarei adiante.

O mundo e o progresso — publicado no Correio Mercantil do Rio de Janeiro, 1855.

Amaryllis: egloga latina, traducção da primeira lyra da Marilia de Dirceu àe T. A. Gonsaga — No mesmo jornal de 20 de setembro de 1857.

O episodio de Ignez de Castro (Luziadas, canto 3º) vertido em versos hexametros latinos — No mesmo jornal de 12 de março de 1860, e reproduzido na Revista Brazileira na Homenagem a Camões, 1880.

Epitome historiœ sacrœ, auctore C. F. Lhomond, notis selectis illustravit A. Mollet, Correxit et accomodavit. Flumine Januarii, 1856 — Esta obra, de perto de duzentas paginas, contém um vocabularia latino-portuguez.

Versão (em hexametros latinos) das primeims quatro oitavas do canto primeiro dos Luziadas de Camões, e das oitavas 33 a 44 do canto segundo — Vem na obra do Visconde de Jurumenha sob o titulo Obras de Camões.

Novo systema de estudar a lingua latina: obra adoptada nos estabelecimentos publicas da instrucção secundaria. Rio de Janeiro, 1850 — Segunda edição, idem, 1859, 390 pags in-8°, Depois desta houve uma outra edição. A academia real das sciencias de Lisboa, ao receber este