Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/164

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Frei Antonio do Coração de Maria e Almeida — Nasceu na cidade do S. Sebastião do Rio de Janeiro, e falleceu a 19 de Junho de 1870, na mesma cidade. Foi religioso da ordem dos franciscanos do Rio de Janeiro, onde exerceu diversos cargos, inclusive o de provincial, examinador synodal, e prégador da capella imperial, e publicou alguns de seus sermões, entre os quaes:

Oração gratulatoria que na solemne acção de graças, celebrada na capella imperial no dia 26 de abril de 1846 pelo feliz regresso de suas magestades imperiaes das provincias do sul a esta côrte, recitou, etc. Rio de Janeiro, 1846,8 pags. in-4.º

Oração funebre do augusto fundador do imperio, o Senhor D. Pedro I, que nas exequias celebradas a 24 de setembro de 1849 pela irmandade de Nossa Senhora da Gloria em sua capella recitou, etc. Rio de Janeiro, 1849, 20 pags. in-4.º

Sermão na solemne trasladação das imagens para a nova igreja matriz do Santissimo Sacramento da antiga se desta côrte. Rio de Janeiro, 1859.

Oração gratularoria que, por occasião do feliz regresso de suas magestades imperiaes das provincias do norte, recitou, etc. Rio de Janeiro, 1860, 16 pags.in-4.º

Oração funebre que nas solemnes exequias do senhor D. Pedro V recitou, etc. Rio de Janeiro, 1867.


Antonio Cordeiro da Silva — Natural do Rio de Janeiro, onde presumó que nasceu no primeiro quartel do seculo 18º e formado em canones pela universidade de Coimbra, seguiu a carreira militar, fallecendo no posto de capitão ou de sargento-mór do regimento do Rio de Janeiro, e assistiu como membro da academia dos selectos á reunião solemne, unica que celebrou esta associação, a 30 de Junho de 1752, occupando-se apenas com a leitura de peças em prosa ou em verso em louvor do governador Gomes Freire de Andrade. Era poeta e escreveu muitas poesias, mas só deu à estampa:

Maria Immaculada: poema sacro (em verso hendecassyllabo) offerecido à Virgem Maria, Senhora Nossa, que com o auspicioso titulo de sua Conceição purissima se venera no convento da Conceição de Beja. Lisboa, 1760 — E' um volume de 100 paginas in·4º, rarissimo.

Sitio da colonia: canto em oitava rima — Vem no livro denominado Jubilos da America, etc., Lisboa 1754, pags. 253 a 262, e no Florilegio da Poesia Brazileira de F. A. de Warnhagem, depois Visconde de Porto Seguro, no appendice ao terceiro volume, pags. 44 a 53.

Oito oitavas — sobre diversos assumptos. Vem no dito livro Jubilos da America, pags. 263 e seguintes.

Um romance — em verso hendecassyllado. Idem, pags. 250 e seguintes.

Um soneto — Idem, pag. 249.