Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/167

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


jámais ser o serviço de um só homem, por ser difficil que qualquer outro se ache collocado nas mesmas circumstancias, e que a estas reuna o amor excessivo das sciencias, a abnegação do descanso e dos commodos da vida, expondo-se a incalculaveis perigos e a despezas que de ordinario não se compadecem com os meios de um homem scientifico.

« Mais de quatrocentas plantas medicinaes, acompanhadas por mais de duzentas estampas, o maior numero excellentemente desenhadas e ricamente coloridas, formam o objecto que pretendo legar ao publico brazileiro, e que vou offerecer ao mundo litterario. A clnssificação botanica de cada uma das plantas; uma descripção geral e exacta na lingua latina; uma descripção abreviada e especifica em latim e em portuguez; historia, colheita, preparações, applicações therapeuticas, dóses, e algumas analyses chimicas — eis os topicos que abriram o vasto e interessante campo ás minhas observações.

« Julguei outr'ora que as miuhas economias me dispensariam de incommodar o governo imperal. Enganei-me; perdas soffridas em differentes commoções politicas do Imperio, emigrações forçadas e despezas extraordinarias para obter plantas e mandal-as desenhar, tudo, tudo tem concorrido a frustrar meus planos. »


Antonio Correia de Souza Costa — Natural do Rio de Janeiro e filho de Antonio da Costa Correia e de dona Fausta Roza de Souza Costa, é doutor em medicina pela faculdade da cÔrte, tendo servido antes de sua formatura como interno do hospital da misericordia ; foi, por concurso, nomeado oppositor da secção de sciencias medicas em 1859, e mais tarde lente cathedratico de hygiene e historia da medicina.

Serviu durante a guerra do Paraguay como primeiro medico do hospital militar de Andarahy, pelo que lhe foram conferidas as honras de cirurgião-mór de divisão ; é do conselho de sua magestade o Imperador, presidente da junta de hygiene publica, medico da imperial camara, official da ordem da Roza, membro titular da imperial academia de medicina, socio da sociedade auxiliadora da industria nacional, socio da associação brazileira de acclimação e escreveu:

Da infecção purulenta : dissertação inaugural, precedida de proposições sobre: Nutrição nos vegetaes, sua respiração e influencia na atmosphera em geral. Casos em que o aborto provocado é indicado. Medicação contra-estimulante. Rio de Janeiro, 1857.

Da dysinteria nos paizes inter-tropicaes: these de concurso a um logar de oppositor da secção medica da faculdade de medicina do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1859.

Qual a alimentação de que usa a classe pobre do Rio de Janeiro e sua influencia sobre a mesma classe: these de concurso á cadeira de hygiene. Rio de Janeiro, 1864.