Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/184

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


gremio litterario Castro Alves ao laureado poeta bahiano, Rio de Janeiro, 1881 », pags; 3 a 15. Segue uma poesia do mesmo autor em verso octosyllabo.

Ha em varias folhas do Rio ele Janeiro poesias suas como o soneto:

Virgem da miseria — no Cruzeiro, e d'ahi transcripto em outras folhas da provincia.


Antonio Fernandes da Silveira — Natural da provincia de Sergipe e nascido no ultimo quartel do seculo 18°, foi presbytero do habito de S. Pedro, monsenhor da capella imperial, do conselho de sua magestade o Imperador, e commendador da ordem de Christo; representou sua provincia em diversas legislaturas, desde a primeira, em que foi tambem eleito pela provincia do Piauhy, e escreveu :

Resposta á carta escripta ao ministro do imperio Joaquim Vieira da Silva e Souza, pelos deputados Antonio Fernandes da Silveira e Joaquim Martins Fontes contra a administração da provincia na presidencia do doutor Manoel Ribeiro da Silva Lisboa e seguida do relatorio de todos os actos do governo da mesma provincia naquella presidencia. Bahia, 1835, 205 pags. in-4.º

Officio do monsenhor Antonio Fernandes da Silveira sobre a existencia de preciosas minas de ferro e de rim rio subterraneo na provincia de Sergipe — Vem na Revista do instituto historico, tomo 23°, 'pag. 129 e seguintes.


Antonio Fernandes Trigo de Loureiro — Filho do conselheiro Lourenço Trigo de Loureiro e de dona Umbelina Luiza Fernandes da Silva Loureiro, natural da provincia de Pernambuco, e ahi fallecido, fez na faculdade de direito desta provincia o respectivo curso, nella recebeu o grau de bacharel e escreveu:

Manual de appellaçoes e aggravos ou deducção systematica dos principios mais solidos e necessarios, relativos a essa materia, fundamentada nas leis do imperio do Brazil. Rio de Janeiro, 1872.


Antonio Ferrão Moniz — Filho do Barão de Itapororócas e da Baroneza do mesmo titulo, nasceu na cidade da Bahia a 28 de dezembro ele 1813.

Partindo para França em 1825, ahi principiou a estudar humanidades, que foi concluir em Londres, para onde pa sara em 1827; e matriculando-se no curso de sciencias naturaes e mathematicas da universidade desta cidade em 1833, não recebeu o grau de doutor por não ter esta universidade o direito de conceder graus. Nas férias de 1831, saudades da familia e da patria o trouxeram a visitar seus paes, voltando depois a Londres, d'onde mais tarde fez uma excursão pela França, Suissa, Allemanha e Italia, não continuando a visitar outros logares,