Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/220

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Antonio Joaquim Alvares do Amaral — Pae de Jose Alvares do Amaral e do desembargador Manoel Maria do Amaral, dos quaes tratarei adiante, nasceu na provincia da Bahia no principio do seculo actual, e falleceu pelo anno de 1850 ; exerceu, entre outros cargos, o de presidente da provineia de Sergipe, e depois da do Maranhão; era commendador da ordem de Christo, etc. Escreveu:

- Diversos relatorios - na administração das provineias mencionadas.

- Estado da casa da santa misericordia em 1843. Bahia, 1843, in-4. o

- Relatorio do estado da administração da casa da santa misericordia da cidade da Bahia, apresentado na primeira reunião da mesa administrativa em o dia 21 de julho de 1844 pelo respectivo escrivão Antonio Joaquim Alvares do Amaral. Bahia, 1844, in-4.º

Antonio Joaquim Correia — Natural do Rio de Janeiro e doutor em medicina pela faculdade desta cidade, na qual recebeu o grau em 1862, foi um dos medicos que nesta côrte offereceram seus serviços á caixa de soccorros D. Pedro V ; é medico do matadouro, e escreveu:

- Accupressura: dissertação inaugural. Rio de Janeiro, 1862- Contém tambem em seguida, proposições sobre: Fecun,dação. Procedimento do parteiro nos casos de apresentação da espadua com sahida do braço. Asphyxia por s~bmersão.

- Guia do povo. Rio de Janeiro, 187' - E' uma guia de medicina homceopathica, escripta ao alcance de todas as intelligencias, a. quem e destinada.

Antonio Joaquim da Costa Junior — Como indica a palavra Junior com que. se assigna, e seu pae Antonio Joaquim da Costa. Quanto ao mais que lhe diz respeito, apenas sei que cursava o quinto anno de direito da faculdade de Pernambuco, quando escreveu:

- Conferencia sobre a centralização, feita no club popular, etc. na noite de 5 de setembro de 1880, Recife, 1880, 15 pags. in-4.º

Antonio Joaquim Curvello d’Avila — Naturaldo Rio de JaneiI'o, nasceu a 4 de março de 1812 e faUeceu em 1870 ou 1871Tendo .feito o curso da academia de marinha com praça de aspirante !lo guarda-marinha em 1834, serviu na armada, vencendo diversos postos até o de capitão de fragata; prestou serviços na campanha do Estado orieBtal do Uruguay de 1851 a 1852 e na commissão de demal'cação de limites entre o Brazil e a republica do Uruguay; exerceu ultimamente o cargo de ajudante do observatorio astl'onomico por muitos annos ; era cavaIleiro das ordens de S. Bento de Aviz, da Rosa e de Christo e condecorado com a medalha de campanha já. mencionada, e escreveu:

- Signaes syllabicos - Não conheço esta obra. Vi deUa a noticia que clá o catalogo da bibliotheca da marinha, sem mais declaração, do que a de possuir a mesma bibliotheca 280 exemplares.