Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/250

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
225
AN


- No'17v roteiro dos delegados e:subdelegadosde policia. Rio de Janeiro, 1879. - Assessor forense, parte criminal: segunda edição. Rio de Janeiro, 1880. - Novo advogado do povo : sex.ta edição. Rio de Janeiro, 1880. - Guia pratica do povo: quarta edição. Rio de Janeiro, 1880. - Guia dos juizes municipaes: terceÍra edição. Rio de Janeiro, 1878. - Manual dos promotores: terceira edição. Rio de Janeiro, 1881. - Actos, attribuiçães: e deveres dos juizes de paz; sexta edição. Rio de Janeiro, 1877. Setima edição, 1881.

Antonio José dos Santos Neves - Natural da cidade de S. Salvador, capital da Bahia, falleceu no Rio de Janeiro em 1871 ou 1872. Tendo servido algum tempo no exercito, foi depois em· pregado na directoria geral das obras publicas, e servia COIIlO addido ã secretaria de estado dos negocias da guerra, quando morreu. Escreveu: - Louros e espinhos, poema patriotico, religioso. Rio de Janeiro, 1866. - Homenagem aos 'heroes bl'azileiros na guerra contra o governo do Paraguay sob o commando em chefe dos marechaes do exercito, sua alteza real o senhor Conde d'Eu e o'Duque àe Caxias. Offerecida a sua magestade imperial o senhor dom Pedro II. Rio de Janeiro, 1870 - Este livro, que é primorosamente impresso, se divide em oito partes ou antes oito poemas, e diversos sonetos, offerecidos ao Imperador em homenagem aos heroes brazileiros e precedido de um preambulo e de uma proclamação aos voluntarios da patria e ã guarda nacional por occasião de organizar-se os primeiros contingentes que marcharam para a campanha, Contém os retratos do Imperador, do Barão do Amazonas, do Duque de Caxias, do Visconde de Inhaúma, do Marquez do Herval, e do Conde d'Eu. Antonio José da Silva, 1°-A triste e desventurada victima dessa maldita e estupida instituição que se chamou tribunal da inquisiç,zo, dessa associação de homens que sob o simulacro da religião toda caridade e amor, plantada por Jesus Christo, commetteu os mais nefandos attentados, as mais horrorozas atrocidades, tudo pouco, porem, para punir seus negros crimes, nasceu no Rio de Janeiro a 8 de maio de 1705, sendo seus paes o advogado João Mendes da Silva e dona Lourença Coitinho, e falleceu em Lisboa a 19 de outubro de 1739. Indo com estes para Lisboa por ser sua mãe accuzada por éulpa de judaismo e chamada perante o tribunal sedento de sangue em principio de 1713, fez ahi seus estudos de humanidades e matriculou-se na universidade de Coimbra, onde obteve o grau de bacharel em canones, e deu-se ao exercicio de advocacia. No começo, porém, de sua vida publica foi ferido dê uma accusação igual ã de sua mãe, e agarrado a 8 de agosto de 1726 para os supplicios do santo offieio, onde passou pelos crueis tratos da polé, e sahiu solto depois da penitencia imposta por auto de fé de 13" de 15