Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/306

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
281
AN


Sermão da terceira dominga de quaresma, prégado em Coimbra em 1730. Coimbra, 1730.

Sermão da procissão de penitencia que fez, á noite, a irmaudade dos clerigos de S. Pedro na cidade do Rio de Janeiro, por occasião do terremoto que houve em Lisboa em 1755. Lisboa, 1756.

Sermão da Conceição de Maria Santissima, prégado na igreja da Candelaria em 1757. Lisboa, 1758.


Antonio Pereira Leitão — Nasceu ná cidade do Rio de Janeiro, sendo seus paes o doutor Antonio Pereira Leitão e dona Emygdia Barboza Leitão da Cunha; exerce o magisterio, leccionando geographia e historia, não só particularmente, como na sociedade Ensaios litterarios de que é socio ; tem feito parte da redacção de alguns jornaes, como o Globo e escreveu :

Pontos de historia antiga, conforme o programma de exames de preparatorios em 1876. Rio de Janeiro, 1876.

Pontos de historia média, conforme o programma de exames de preparatorios em 1876. Rio de Janeiro, 1876.


Antonio Pereira Pinto — Nasceu na cidade do Rio de Janeiro a 20 de março de 1819 e falleceu a 5 de julho de 1880.

Formado em direito na faculdade de S. Paulo, foi logo eleito por esta provincia deputado á sua assembléa e, entrando para a classe da magistratura, nella exerceu o cargo de promotor publico da capital de S. Paulo, depois o de juiz de orphãos em Campos, e mais tarde de juiz de direito em Guaratinguetã, servindo o de pagador da thesourari::t de marinha antes de ser juiz d~ orphãos, e o de official da secretaria da justiça antes de ser juiz de direito; depois disto, foi director do archivo publico do imperio, e por fim director da secretaria da camara dos deputado, em cujo exercicio morreu.

Foi presidente das provincias do Espirito Santo, do Rio Grande do Norte e de Santa Catharina, representando a primeira na camara temporaria nas legislaturas de 1857 a 1864 ; era moço fidalgo da casa imperial, do conselho do sua magestade o Imperador, commendador da ordem da Roza, cavalleiro da de Christo, socio do instituto historico e geographico brazileiro, e escreveu:

Apontamentos para o direito internacional ou collecção completa dos tratados celebrados pelo Brazil com differentes nações estrangeiras, acompanhada de uma noticia historica e documentada sobre as convenções mais importantes. Rio de Janeiro, 1864 a 1868, 4 vols. in-4° — Esta obra de inestimavel valor refere-se a factos de 1808 em diante e foi acolhida com os elogio de toda imprensa, votando o parlamento um auxilio de 2:000$ por cada volume.

Estudos sobre algumas questões internacionaes. Rio de Janeiro, 1867, in-8.º