Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/312

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
287
AN


Antonio Pereira Simões — E' natural da provincia de Pernambuco, engenheiro civil, exerce o logar de gerente da via-ferrea da cidade do Recife á Olinda e Beberibe, e escreveu:

Contingente para a construcção de pontes economicas. Rio de Janeiro, 1880 — Foi publicado em quatro fasciculos, e a proposito desta obra escreveu o doutor Aarão Leal de Carvalho Reis na Gazeta de Noticias uma serie de artigos, de que sahiram os dous primeiros capitulas a 28 de janeiro de 1881.

Engenhos centraes em Pernambuco. Rio de Janeiro, 1882.

Uma Visita á penitenciaria. Rio de Janeiro...


Antonio Pereira de Souza Caldas — Filho do negociante portuguez Luiz Pereira de Souza e de dona Anna Maria de Souza, nasceu no Rio de Janeiro a 24 de novembro de 1762 e falieceu a 12 de março de 1814.

Dotado de uma constituição mui debil, soffrendo mesmo em sua saude desde seus primeiros annos, foi por isso aos sete annos de idade enviado por seus paes para Portugal, onde fez toda sua educação litterrria, sendo graduado bacharel em direito na universidade de Coimbra. No meio do curso, porem, porque desenvolvera uma intelligencia brilhantissima e publicara alguns escriptos que não agradaram ao santo officio, esta mándou prendel-o, e — ou por muitos empenhos que teve Caldas, ou por faltar uma vez coragem ao santo officio para metter na fogueira um moço fraco, e o visse com pouco sangue, anemico, para saciar a sêde satanica que devorava os santos varões — o sentenciou apenas a exercicios de piedade com os padres catechistas de Rilhafolles, os quaes, em vista de sua grande applicação ás lettras sagradas, e de sua modestia e submissão, obtiveram que se abreviasse o prazo da sentença e que elle voltasse á universidade.

Depois de formado em direito foi nomeado juiz de fóra de Barcellos, na Bahia, lagar que não aceitou para dar-se á profissão de advogado; mas, dolorosamento ferido com a noticia da morte de seu pai, resolveu viajar, percorreu a França, a ltalia, e chegando a Roma, onde mereceu particular estima de Pio VII e distincta consideração de muitos sabias, a fé catholica que o santo officio não pudera, nem devera inflammar em sua alma, porque a inquisição era a calumniadora da santidade da lei de Jesus, como dis e o doutor J. M. de Macedo, a fé catholica, toda suave e angelicamente inspirada, absorveu-lhe o espirito e o coração — tanto, que ahi mesmo abraçou o estado ecclesiastico, tomando o habito de S. Pedro.

De volta a Lisboa, renunciou uma abbadia que lhe foi offerecida, e até o bispado do Rio de Janeiro, e dedicou-se todo ao pulpito, onde grngeou os maiores applausos. Então saudades de sua velha mãi o trouxeram ao Rio de Janeiro em 1801; mas, vendo quanto em sua patria era mephitica a atmosphera litteraria, mórmente depois da atroz perseguição que fizera ás lettraa o Conde de Rezende, voltou de novo a Portugal, d'onde só