Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/349

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


mesma, doutor Silvino Elvidio Carneiro da Cunha em 23 de fevereiro de 1875. Parahyba, 1875, 57 pags. in-4.°


Antonio Valentiln da Costa Magalhães — Filho de Antonio Valentim da Costa Magalhães e de dona Maria Custodia Alves Meira, nasceu no Rio de Janeiro a 16 de janeiro de 1859, e é formado em sciencias sociaes e juridicas pela faculdade de S. Paulo, concluindo o respectivo curso em 1881.

Desde o começo de sua vida escolastica se dera ao cultivo das lettras, escrevendo muitos folhetins e variados artigos quer em prosa, quer em verso, no Amolador, jornal humoristico, de propriedade e redacção de seu tio Gaspar Alves Meira, no qual estreara aos quatorze annos de idade, e depois em varios orgãos da imprensa periodica da côrte e de S, Paulo, e publicou ainda:

Ideias de moço: ensaios, S. Paulo, 1878. (Veja-se Antonio da Silva Jardim.)

O general Ozorio. S. Paulo, 1879 — Contém a biograpbia do general por Silva Jardim, e uma composição poetica por Valentim Magalhães.

Cantos e luctas: collecção de versos. S. Paulo, 1879.

Colombo e Nené: poemeto. S. Paulo, 1880 — Esta obra é offerecida a dona Maria Quiteria Alves Meira, tia do autor.

A vida de seu Juca: parodia á « Morte de D. João» de Guerra Junqueiro, S. Paulo, 1880 — Este livro é dividido em tres partes, escripto em estylo humoristico, em versos de metrificação diversa, tendo o autor por collaborador seu irmão A. H. de Magalhães.

Quadros e contos. Rio de Janeiro, 1882 — Acham-se neste livro colleccionadas diversas narrativas alegres.

Redigiu:

Entre-actos: publicação periodica, illusLrada. S, Paulo, 1881 — Foi sen companheiro nésta publicação Ezequiel Freire.

A comedia: publicação diaria, Proprietarios Valentim Magalhães, Silva Jardim, Gnstavo Julio Pinto Pacca e Adolpho Carneiro de Almeida Maia. S. Paulo, 1881.

Além de uma collecção de folhetins tem promptos a entrar no prelo:

O equilibrista: romance de costumes.

Novas poesias.

Ha finalmente de sua penna varios escriptos de menor folego, sendo alguns já publicados, como:

O Esquisitão: romance — publicado na Gazeta de Noticias da côrte de 22 de novembro de 1880.

Canção do exilio de François Coppée — publicada no Almanak das Senhoras, de Lisboa, para 1882, pag. 225,


Antonio de Vasconcellos Menezes de Drumond — Filho do brigadeiro Gaspar de Menezes Vasconcellos de