Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/385

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
360
AU


lharia, em cujo estado-maior serviu com o posto de capitão, recebendo o grau de bacharel em mathematicas e sciencias physicas pela escola militar da côrte em 1876; foi professor da escola militar do Rio Grande do Sul, engenheiro da camara municipal de Porto Alegre, e deputado á assembléa da mesma provincia. Escreveu muitas poesias e traduziu outras, sendo dellas publicada a collecção sob o titulo

Realidades e sonhos: poesias, Rio de Janeiro, 1883 — É uma publicação posthuma com uma noticia biographica do autor por Pedro A. Gomes.


Augusto Joaquim de Siqueira Canavarro — É presbytero secular, vigario collado da freguezia de S. Francisco de Paula da cidade de Pelotas na provincia do Rio Grande do Sul, d'onde me parece que é natural, e formado, não sei em que sciencia e faculdade. Escreveu:

Discurso pronunciado na festa da Santissima Virgem do Rozario em 3 de outubro de 1880 na matriz da mesma parochia. Pelotas, 1880, in-4.° com o retrato do autor — Neste discurso occupa-se o autor da emancipação do elemento servil.


Augusto Lessa — É natural da provincia de Pernambuco, onde cursou algumas aulas de humanidades. De sua provincia, passando para a capital da Bahia em 1871, ahi pouco tempo depois casou-se e estabeleceu sua residencia; tem-se dado ao jornalismo, e cultiva tambem a musica para amenizar as asperezas inherentes á vida que adoptou. Serviu-lhe de estréa no jornalismo o periodico Jesuita, em cuja redacção teve parte, e fundou depois os seguintes:

O Artista: periodico de artes, commercio e agricultura. S. Salvador, 1876 — É illustrado com algumas estampas.

O Balão: periodico critico e humoristico. Bahia, 1880 — Idem.

O Bahiano: periodico critico. Bahia, 18** — Com este titulo redigira na mesma provincia o finado conselheiro Antonio Pereira Rebouças e depois Bernardino Ferreira Nobrega um periodico que viveu de 1828 a 1829.

O Encouraçado: periodico critico. Bahia, 1882 — Tem por epigraphe de um lado « Quem não quizer ser lobo... » e de outro lado « Lex omnibus.» Nestas publicações teve Augusto Lessa a collaboração da penna ferina, mas bem aparado, de José Alvares do Amaral, ha pouco fallecido.

São da penna de Augusto Lessa:

Poesia posta em musica pelo compositor bahiano Joaquim Thomé e offerecida a J. G, Illeus. Bahia, 1875.

Saudades de Olinda: composição musical. Bahia.

Minha vida: idem. Bahia.

Hymno Homem de Mello: idem. Bahia.


Augusto Leverger, Barão de Melgaço — Nascido em França a 30 de janeiro de 1802, falleceu na cidade de Cuyabá, capital de Mato Grosso a 14 de janeiro de 1880.