Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/395

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
370
AU


Promptuario do sello. Rio de Janeiro, 1870 — E' um opusculo em ordem alphabetica, indicando o modo de applicar o sello de estampilha, adoptado pelo governo.

Esboço historico da academia da marinha, desde a sua fundação, e da companhia de aspirantes a guardas-marinha, acompanhado dos regulamentos vigentes da escola de marinha, annotados, etc. Rio de Janeiro, 1873, in-8° — Este livro, que é offerecido ao conslheiro J. D. Ribeiro da Luz e ao coaselheiro J. M. Wandenkolk, da pag. 223 a 244 traz uma synopse chronologica da legislação relativa á academia, á escola de marinha, á companhia de aspirantes e aos guardas-marinha.

Além disso escreveu sempre com mais ou menos assiduidade artigos para a imprensa liberal de Nictheroy, e redigiu:

A Situação: jornal politico e de variedades. Nictheroy, 1862, in-4.°


Aureliano Candido Tavares Bastos — Filho do desembargador José Tavares Bastos e de dona Roza Tavares Bastos, nasceu na provincia de Alagôas a 20 de abril do 1839 e falleceu a 3 de dezembro de 1875 em Nice, d'onde foram seus restos mortaes transportados para sua patria.

Doutorado em direito pela faculdade de S. Paulo em 1861, foi eleito deputado por sua provincia no anno seguinte. Unido então ao partido conservador que lhe dera um logar de official da secretaria de estado dos negocias da marinha, aggredindo com vehemencia o ministro da respectiva pasta n'uma discussão, foi demittido desta logar, e dissolvida a camara, entrou no partido denominado da liga, que se formara de conservadores e liberaes, a cujo lado militou nas duas legislaturas subsequentes, para que foi reeleito por sua provincia natal. Em 1864 foi nomeado secretario da missão especial ao Rio da Prata e elogiado pelo ministro com quem serviu, e ,em 1868, subindo ao poder a politica conservadora, depois de dissolução da camara, fez a esta politica energica opposição pela imprensa; mas então, já abatido pelo muito e nunca interrompido estudo que fazia, sentindo-se doente, foi á Europa em busca do restabelecimento de sua saude, e ahi falleceu, em Nice.

Era membro honorario da sociedade historica de New-York, e, além de artigos politicos em diversos orgãos da imprensa diaria, escreveu:

Cartas do solitario: estudos sobre a reforma administrativa, ensino religioso, africanos livres, trafico dos escravos, liberdade de cabotagem, abertura do Amazonas, communicações com os Estados-Uaidos, etc. Rio de Janeiro, 1862 — Desta obra se fez logo segunda edição com muitos artigos novos no Rio de Janeiro, 1863, 454 pags. in-4.°

Os males da actualidade e as esperanças do futuro. I. Realidade. II. Illusão. III. Solução. Rio d'e Janeiro, 1861, 35 pags. in-8.°

O valle do Amazonas: estudos sobre a livre navegação do Amazonas, estatistica, producções, commercio, questões fiscaes do valle do