Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/90

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
65
AL


«Qual o fim de convocar-se o povo para a sessão de exhibição do autographo, senão para abafar pala vozeria a acção tranquilla da justiça?

«Não está este procedimento reprehensivel patenteando o plano de levantar poeira para conseguir a impunidade do crime?

«Nosso rumo, porém, está antecipadamente traçado. Defenderemos por todos os meios legitimos o nosso direito. Cidadãos brazileiros, iremos aos tribunaes com a consciencia de desempenhar um dever e prestar um serviço á sociedade, que vive da justiça. Nem vociferações extemporaneas, nem vergonhosas capitulações; manteremos nosso posto, aguardando os acontecimentos.

«Temos uma consciencia, seguiremos seus dictames; não queremos tricas, nem linhas tortuosas; caminharemos com o favor de Deus na estrada da honra e da dignidade. Não nos inquietam os rumores da rua; desprezamos os insultos, e temos compaixão dos insultadores; a verdade romperá com seus raios possantes o nevoeiro das paixões; nosso triumpho será certo, porque defendemos a causa da justiça e da verdade, que não são cousas vans, mas um reflexo das divinas perfeições.»

Consta-me que redigira tambem no Maranhão uma folha intitulada Pacotilha.


Alvaro Alberto da Silva — E' natural do Rio de Janeiro, filho de João Alvaro da Silva e de dona Adelina Carlota Guedes da Silva; fez na côrte todos os seus estudos, quer de humanidades, quer da faculdade de medicina, onde recebeu o grau de doutor em 1881, e escreveu:

Dissertação sobre a nephrite paremchymatosa: these apresentada á faculdade de medicina do Rio de Janeiro em 30 de setembro de 1881 e perante ella sustentada a 20 de dezembro do mesmo anno. Rio de Janeiro, 1881. 145 pags. — Contém a these proposições sobre: Opio — Anesthesicos — Condições pathologicas da anuria e dos meios de combatel-a.

Gazeta medica brazileira: revista quinzenal de medicina, cirurgia e pharmacologia. 1° tomo. Rio de Janeiro, 1882 — Sahe em folhetos, cujo primeiro numero é datado de 15 de março, sob a redacção do Dr. Alvaro e mais dous collegas. (Veja-se Domingos José Freire 2°, João Vicente Torres Homem.)


Alvaro Augusto de Carvalho — Irmão do celebre constructor, primeiro tenente honorario da armada Trajano Augusto de Carvalho, nasceu na provincia de Santa Catharina a 1 de março de 1829, e falleceu na campanha contra o Paraguay.

Fez todo o curso da academia de marinha, tendo a primeira praça, de aspirante a guarda-marinha, a 2 de março de 1847, sendo promovido a guarda-marinha em dezembro de 1849, a segundo tenente em abril de 1852, e a primeiro tenente em dezembro de 1856. Tinha este posto e commandava a canhoneira Ypiranga, quando falleceu em combate.