Página:Diva - perfil de mulher.djvu/133

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


tão agitada com o atual isolamento e tranqüilidade, fixou-me nos olhos, enquanto me dirigia com a voz lenta estas palavras:

— Está satisfeito? Não foi cegamente obedecido?

— Oh! Mila! Obedecido, não! Não me atrevia a pedir tanto... É uma graça que me concedeu... e eu a recebi de joelhos!...

— Ah! fez ela com uma expressão indefinível de tédio.

Geraldo entrava nesse momento. Depois de apertar-me a mão:

— Diz-me uma coisa, Amaral? Por que razão proibiste a Mila de sair de casa?

— Ora, Geraldo! respondi eu enfadado. Nunca hás de ter juízo.

— Foi ela quem me disse!...

— D. Emília?...

— E tu acreditaste! disse Mila ao irmão com um riso irônico.

Isto passava-se ontem.

Hoje à tarde, chegando à sua casa, achei o carro à porta e ela na sala pronta para sair; só esperava por D. Leocádia.

— Vai sair? perguntei-lhe triste.

— Não vê? respondeu correndo os olhos pelo seu trajo.

— Volta cedo?

— Não! Vamos ao teatro.

— Ah!... Tinha-me... prometido não, mas habituado já a vê-la longe do mundo, bonita e risonha só para mim!...