Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/124

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


688 DOM JOAO VI NO BRAZIL

ignorava que Artigas, o qual sem eleigao se apoderara na Banda Oriental do poder supremo, praticara depredagoes na fronteira brazileira, alistara tropas para invadir a provin- cia de Sao Pedro e espalhara proclamacoes destinadas a excitar os habitantes das Sete Missoes a revolta.

O proceder da corte do Rio nao significava apoio a separagao de colonias hespanholas, nem envolvia propositos de permanente annexagao de qualquer d ellas. Quando se annunciou que a expedicao do general Morillo, a qual de repente mudou de destino, se dirigiria para Buenos Ayres, o governo portuguez dera ordens para Ihe serem abertos os portos brazileiros e abastecida a mesma expedigao : mais do que isso, foi precisamente para auxiliar os Hespanhoes riessa occasiao, que se mandaram vir de Portugal os 4 a 5.000 veteranos.

O caso era porem de todo diverso no que dizia respeito a propria defeza. Si ao ministerio hespanhol agradava deixar a insurreigao enraizar-se nas suas colonias, nao Ihe assistia por isso o direito de impedir um Estado estrangeiro de tomar medidas de anteparo contra esses mesmos insurgentes, que elle nao queria ou nao podia sujeitar. O gabinete de Madrid nao tivera paciencia bastante para esperar as explicagoes- que so pela distancia se demoraram - - justificando tamanha pureza de intenc.oes do Rei Fidelissimo, e levara sua precipi- tagao, reza um dos communicados ( I ) de Palmella, ao ponto de haver pretendido por vinganga metter n um con- vento ou recambiar para o Brazil as duas Infantas portu- guezas, sendo porem esta proposta indigna repellida com desprezo pela sabedoria de S. M. Catholica." Igualmente diligenciara o governo hespanhol acclimar entre as grandes

��(1) Times de 7 e 9 de Junho de 1817.

�� �