Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/244

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


808 DOM JOAO VI NO BRAZIL

(os trez bonapartistas, do exercito francez, engajados pelo Cabuga nos Estados Unidos, chegaram tarde) e de acoutar na sua residencia trez chefes do movimento sedicioso na Parahyba, que d ahi foram arrancados pela policia. O go- verno americano houve que destituir o seu consul.

Na Inglaterra, onde o governo provisorfo sonhara fazer de Hippolyto o seu ministro, o apoio a revolu^ao foi igual- mente, e com maior razao, .negative, obtendo pelo -contra- rio Palmella facilmentc do governo do dia, como era de prever, quanto pretendia em detrimento da republica. So nao conseguio, porque o gabinete britannico invocou a pro- posito a neutralidade adoptada entre a Hespanha e suas co

��dos Estados Unities tiilvez o nao ha-bilita a dar, por.que eu co- nhec,o que o Supremo Executive desta nnqao, todo poderoso quando cstribado em Leys, he t-onstitucionalinente sem acgao, quando ellas Ihe faltam. O que eu solicito delle he que proponha ao Congresso que de taos providencias por Ley, que previnam taes attentados para o future."

A resposta de Monroe foi a r-emessa ao Congresso, pelo Pre-

sidente Madison, de uma menssgem urglndo a necessaria extensao das disposigoes legislativas, executivas e pena es para manter-se a neutva- lidade rigorosa dos Estados Unidos, podendo ser detidas as embarca- (;6es suspeitas, exigida pi-evia e forte fianga. dos donos e commandan- tes de navios armados, e pun i dos os transgressores. em julgamento, com multa que nao passasse de 10.000 dollares e prisao que nao ex- cedesse dez annos.

E interessante no tar que o respeito aos direitos dos neutros, invocado pelo representante portuguez, constituia por ease tempo, quando o desconhecia ou pvetendia desconhecer a Inglaterra, uma das maiores preoccupagoea dos Estados Unidos, tendo ate formado o melhor das instrucgoes dadas ao seu primeiro mi-nistro no Rio, sendo Je-f ferson Presidente e Madison Secretario d .Estado. Occorreram mesmo attritos durante a .guerra de 1812-14 porque as auctoridades portugu.- z-is por ma s que affectassem neutralidade, nao logravam deixar mostrar-se parciaes aos Inglczos. sempre que para isto sobrejinha enseio- ate no dizer das reclamaqoes americanas, por occasi ataques de embarcagoes dos Estados Unidos pelos corsarios bntanmc em aguas territoriaes portuguezas.

.Nos incidentes das .presas pseudo-platinas, o Departamento di tado agiu com correcgao, fazendo perseguir os delinquentes pelos pr< curadores (attorneys) de districto, segundo se pode ver da correspo] dencia original no Arch, da Embaixada Americana no

�� �