Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/261

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 825

especialmente na restauragao do monopolio commercial. O corpo de negociantes do Recife expressara seu jubilo fa- zendo um dom de 30 contos ao exercito libertador e orga- nizando em sua honra uma festa de espavento na matriz do Corpo Santo, com trez dias de lausperenne, canticos sem fim, dous sermoes e duas bengaos do Santissimo por dia.

Os pregadores trove javam em vernaculo salpicado de muito latim contra a impiedade e o jacobinismo; pregado res d alem mar ja se sabe, visto os padres do novo Reino quasi todos se enfileirarem entre os liberaes ou nutrirem sympathia pela revolugao, e isto por duas razoes: I 9 , porque eram das poucas pessoas que sabiam ler e das raras instrui- das, para as quaes portanto o horizonte se abria amplamente ; 2-, porque eram muito mal remunerados, embolsando o Rei o dinheiro do dizimo como grao-mestre de Christo, senhor do padroado e sustentador do clero e fazendo, do que perce- bia, uma magra distribuigao que constituia ainda assim o melhor do apanagio ecclesiastico ( i ) .

Nos intervallos dos sermoes eivados de puro luzita- nismo, e n uma deliciosa combinagao de sagrado e profano, serviam-se iguarias, dooes e refrescos nas galerias superio- res do templo. As damas em trajes de gala, carregadas de joias, que se ajoelhavam e sentavam sobre os tapetes da nave, iam entao espairecer com os officiaes de Luiz do Rego, genre da m elhor, rapazes de bonne mise, escrevia Tollenare em seu canhenho, instruidos e finos : "ce que 1 education du grand monde offre de plus delicat, se presente dans leurs

��manieres.

��(1) O rendimento do arcebispado da Bahia nunca subio n aquelles tempos a mais de 10 contos, e o do bispado do Rio de Janeiro a mais de 6 contos.

D. J. 52

�� �