Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/269

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 833

percussao externa, mais graves e complicadas em que se achou entao empenhado o governo portuguez as do trafico, de Ca- yenna e de Montevideo trataram-se pode dizer-se que intei- ramente na Europa, devendo alias ser julgadas tao europeas quanto americanas.

Nao era por isso nullo o papel do corpo diplomatics acreditado no Brazil, onde Chamberlain, o consul geral que exerceu funcgoes de encarregado de negocios entre a partida de lord Strangford em 1816 e a chegada de Thorn ton em 1819, assim como depois da partida d este para Lisboa, chegou a exercer certa influencia sobre o espirito do Rei, o que queria dizer auctoridade sobre o ministerio, a esse tempo quasi que reduzido a Thomaz Antonio Villanova Por tugal. Os fios da politica internacional andavam ligados por forma que passavam por todas as cortes, n uma ja palpavel solidariedade dos interesses de cultura sob os ciumes egoistas e as desavengas particulares.

Para jogar em seguranga de causa, era preciso possuir as chaves da rede e assim dominar o mechanismo complete: de contrario ficava-se a meio do caminho e attrahia-se sobre si o ridicule. Quando por exemplo, o governo portuguez recorreu a venda de bens da coroa e de conventos a suppri- mir, vexado como andava com os atrazados devidos ao exercito em operacoes contra os Francezes, o conde do Funchal teve uma das suas : precisamente acabava elle de ser nomeado ministro dos negocios estrangeiros e da guerra em substituigao do irmao fallecido, devendo todavia permane- cer algum tempo mais na Inglaterra com o fim de ultimar os negocios pendentes da sua gestao. O exito pouco feliz da sua indubitavel actividade acabou por comprometter a sua es- colha para o gabinete.

�� �