Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/351

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 915

receiavam das ideas separatistas, e instillando despeito nos Brazileiros que enxergavam nas forgas transplantadas um precioso instrumento de jugo e oppressao (i).

Refere Luccock que a esquadra cm 1818 se achava muito augmentada, pois desde o anno de 1813 se Ihe tinham aggregado, em que pese as informagoes o fficiaes de Maler, importantes unidades, construidas as mais d ellas no Rio e na Bahia, onde ja nos tempos coloniaes se fabricavam navios. Luccock porventura forga n este ponto a nota optimista, mas e facto que Turribull, o qual fez de 1800 a 1804 uma via- gem em redor do mundo, estando no Brazil, falla com muitos elogios do arsenal da Bahia, em cujo estaleiro en- controu uma nau de 64 chamada Principe do Brazil, admi- ravelmente construida com madeira do paiz. "Concebo que he de justiga accrescentar, escrevia elle (2), que este navio me pareceu huma completissima, e bem acabada pega de mao d obra; e junctamente com a sua elegancia, combinava for- taleza e substancia, que se nao podem exceder, e commum- mente nao se igualam nos estaleiros da Europa."

Em 1818, alem dc novos navios langados ao mar, ti nham sido reparados os velhos, remodelado o almirantado, restauradas as fortalezas de Santa Cruz e Villegaignon, ar-

��(1) A 21 de Outubro de 1817 escrevia Marrocos ao Pair "Os

Navios da Tropa vao entrando ; vindo a ser todos (ou os que

puderem) aquartelados no famoso edificio do Lazareto, no sitio de S. Christovao, e proximo ti Real Quinta da Boa Vista. Todos aqui suspirao pelos nossos valorosos Soldados Portuguezes ; e por toda a parte reina huma aiffeigao .ao sen heroismo -e hum deseioi de os, ro- ceber e agasalhar." A 1 de Novembro ajuntava n outra carta : ". ... ; e S. Magestade tern dado a toda a tropa bom convite de comei 1 e dinboiro no aia do SCHI desembarque, ;1 proporgao que tern entrado e dcsombar- cado, de sorte que he para elles hum dia de S. Martinho. O servigo do Palacio de S. Christovao, onde S. Magestade reside effectivamente, IK; feito por elles exclusivamente ; e em geral todo o Povo esttl cheio de prazer com a sua chegada, pelas ideas vantajosas que tern do seu valor e disciplina."

(2) Traducgao publicada no Corrcio BrcrMlcnsc n. 93, de Fe- vereiro de 1816, vol. XVI.

�� �