Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/386

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


950 DOM JOAO VI NO BRAZIL

pleno direito de escolherem um Soberano, estando vago o throno: e o throno devia considerar-se vago pois nao era admissivel, e segundo o abbade de Pradt depunha ate contra a honra da Europa, que uma corte da America tivesse pos- sessoes europeas.

Alias o incangavel publicista encontrava as maiores van- tagens em fazer-se o Rei de Portugal de todo Braziliano, apenas lamentando que a nova corte tivesse sido dominada por velha gente, os novos negocios manejados por homens antigos, os novos objectos regulados por instrumentos anti- quados. Por isso se nao vira inventar uma so medida, dizia elle, das de grande momento, afora a liberdade de commer- cio, decretada em circumstancias especiaes, applicavel as con- digoes do Brazil, onde tudo continuara a ser regido pelo sys- tema portuguez, quando nao colonial. O meio, as necessi- dades, tudo entretanto era differente.

< Vassallo ou inferior de todos na Europa, El-Rey do

Brazil, ipizando a terra da America, adquiriu um campo im- menso ; entrou na politica do universo, em que Ihe cabia tarn pequena partilha, pelos seus territorios Europeus. Subdito, em sua antiga habitagao; na nova, he de todo independente; e participa no systema de emancipagao, que he a nova vida dos paizes, que o cercam." (i) O que poderia vir a ser o Reino Americano creado pelo monarcha portuguez, deva- neav^-o a imaginagao do abbade, alimentada n essa epocha de soffreguidao mental por todas as chimeras liberaes herdadas da transformagao de ideas do seculo XVIII.

Unica voz discordante aquem do Atlantico de que nos haja chegado a repercussao alem da de Pradt, Hippolyto era de parecer que, no estado de agitac.ao e incerteza no qual

��(1) Versa o cit. do Corrcio Brasiliense.

�� �