Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/395

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 959

retretas da Princeza Real. Levada de sege para Botafogo, foi admittida a beijar a mao de Dona Carlota, e tao con- doida ficou esta da penuria da rapariga, que para mais andava enferma, e ao mesmo tempo tao agradada d ella, que Ihe fez preparar logo roupa e pessoalmente ordenou ao medico da real camara que a attendesse com todo o carinho, correndo os remedies por conta do seu bolsinho. "Foi S. A. tao estremosa neste ponto, que hia lembrar a doente as horas, em que todos os dias havia de tomar os remedies, assistindo alii nessas occasioes. Sabendo ao depois que ella tinha duas filhas pequenas e em desamparo, mandou logo buscal-as, vestiu-as nobre e magnificamente com hum primoroso enxo- val,.e pol-as a educar e aprender em hum Collegio de meni- nas, pagando mensalmente por sua educagao 36$ooo."

Dom Joao era menos expansive talvez nos seus impul ses generosos, mas em compensagao nao era tao rancoroso. Perdoava com muito mais facilidade. Na atmosphera sus- picaz de Lisboa, inficionada de ideas jacobinas, um tempo houve em que o Principe Regente facilmente viu conspira- c.oes e attentados que Ihe descobria a cada passo - - e ate os inventava--o Intendente de policia Pina Manique: (i) nem assim, porem, se tornou um tyranno. Apenas descon- fiava dos homens intelligentes e illustrados que Ihe nao des- sem prova particular do seu devotamento, aborrecendo mes mo a sciencia por julgal-a madrinha de reformas politicas.

��(1) Pina Manique ficou na fama como o prototype do aclininis- trador rigido o arbitravio : dc])ortnva a sen talanto jiara o ultrauiar o envolvera a vida social portugueza n um systema dc cMpionaiicm e <>- lagao. No dizor do auctor anonymo dn JfiKloirr <!< -lean I /, sua activi- dado era muito maior em fO inen-tar os- prcprios imlovcssi s do quo zelar o aceio e segurancja da cn])ifa]. dcvcndo-sc -,\ !>. Kodn.u o dc Coutinho tanto a illumina<:iio pcvmanento do Lisboa, eorno a crc.-H.-rio da policia a po e a cavallo. E justo comtudo lonibi-av (\\i<* Pina Mnniq io cuidou da instrucqao, fundando uma rasa do corro co.ao paj-a os dona soxos, cscolas de desenho c collegios etc.

�� �