Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/430

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


994 DOM JOAO VI NO BRAZIL

como comparsas d esse final nephelibata, em que se destaca- vam animados, pairando entre as nuvens, os genios das na- goes componentes da dilatada monarchia.

No dia 8, depois do beija-mao, renovaram-se no Campo de Sant Anna as diversoes da vespera e queimou-se um es- plendido fogo de artificio a nofte, quando a corte sahio a visitar as illuminagoes, que emprestavam uma apparencia fantastica, a toda a cidade, pois nao se limitavam as dispos- tas pela Intendencia de Policia, Senado da Camara e Junta do Commercio. Particulares rivalizavam em grandeza com estas corporagoes e repartigoes officiaes: so uma casa se enfeitara com 6.000 lampeoes de cor.

Os artistas francezes tinham prestado seu concurso com a maior liberalidade, dando uma ncta distincta as orna- mentagoes, redigindo inscripgoes, forjando emblemas, exca- vando allegorias a fixar sobre os transparentes, distribuindo desenhos, ideando construcgoes architecturaes, delineando templos com bustos reaes coroados do louro guerreiro ou da pacifica oliveira. As armas dos trez Reinos, o genio do Brazil e as homenagens de figuras symbolicas eram os motivos do- minantes nas decoragoes, que todas traduziam, sob a expan- sao do affecto dynastico, o orgulho particularista atigando as rivalidades que de regionaes passavam a nacionaes.

O resto das festas realizou-se oito mezes depois, effe- ctuando-se no circo do Campo de Sant Anna as cavalhadas, touradas e dangas a caracter promovidas pelas corporagoes profissionaes. Os desportos equestres e tauromachicos de- viam ter sido os mais apurados da epocha a julgar pelos lon- gos e cuidados preparatives. Marrocos, que nao alimentava muita ternura pelo Brazil e estava sempre prompto a desfa-

�� �