Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/433

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 907

destinada para Suas Altezas." Nos dias de funcgao de gala, com o beija-mao indispensavel, tornava-se enorme a azafama, concorrendo coches, berlindas, seges, traquitanas, gondolas, carros inglezes, toda a especie de vehiculos a transportarem o pessoal obrigado e facultativo d essas cerimonias.

Do lado esquerdo do largo do Paco levantavam-se casas uniformes que foram primeiro occupadas por fornecedores e empregados da Real Casa, mas em 1818, tendo-se deslocado o grosso da corte para Sao Ohristovao, ja o eram, nas lojas por varios cafes, e nos andares superiores por bilhares e ho- teis a franceza. Por traz d este quarteirao, no dcdalosinho de ruas que subsistem, encontrava-se bem repetido o typo classico da hospedaria portugueza, annuncfada por grandes taboletas e lanternas de folbas de Flandres, e com armazens para deposito das mercadorias dos viajores, na maior parte de commercio.

Na fachada do quarteirao da banda da praia as lojas de variados fornecimentos formavam uma especie de mercado que nunca se levantava, e da banda opposta, as casas volta- das para terra constituiam o comego da rua Direita com suas boas lojas de negociantes abastados, Encostado mesmo ao mar fa/ia-se o mercado do peixe, a que se seguiam os trapi- ches da Alfandega e depois a praia dos Mineiros, onde se vendiam bananas, le-nha, louqas e outros artigos. ( I )

Si nem toda el la podia haver-se esmerado e adoptado o bom torn, que se derivava de um arremedo que fosse do legi- timo esplenfdor das realezas, a vida fluminense no geral ga- nhara tanto com a fartura proveniente de urn commercio di- recto e extenso, e com a convivencia estrangeira, que em

��(1) Debret, ob. cit.

�� �