Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/455

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 1019

para nao excitar reclamaQoes demasiado vivas, logo exe- cutado com gana, tendo sfdo revogadas as isengoes concedidas por privilegios particulares. Ainda assim, de modo algum se puderam arranjar os 4.000 soldados: apenas foram, a 14 de Agosto, 2.900 homens de infanteria e um destacamento de engenharia.

Para o thesouro todas essas despezas - - expedigao a Liorne para buscar a Princeza, bloqueio de Pernambuco, guerra de Montevideo - - eram umas tantas Sangrias dadas a urn anemico de ultimo grau, que so a forga de expedientes se mantinha de pe. Para o emprestimo de quatro milhoes de cruzados a que em 1817 houve que recorrer com urgencia, so se encontraram subscriptores para milhao e meio, apezar do juro ( razoavel de 6 %, de uma taxa especial de garantia do seu servic.0 - - 15 .% sobre generos salgados, queijos e manteiga de importagao e das instancias da Regencia junto aos principaes negociantes e capitalistas de Lisboa. A operagao ultimou-se porque a Regencia distribuio a forga o restante do emprestimo por aquelles mesmos tomadores, que se consolaram da violencia com a idea de que o dinheiro serviria tambem para se armarem fragatas destinadas a pro- teger o commercio portuguez contra os corsarios de Artigas.

Em 1819 recusou porem a Regencia muito respeitosa- mente o btemperar a outro pe dido real, de mais 5.000 ho mens, parecendo-lhe impossivel recrutar mais gente para um servico que a todos repugnava e quando no paiz, constante- >mente sob a ameaqa da Hespanha, se reduzia o effectivo armado ao estricto necessario.

Em dinheiro nao havia mais que pensar ; o que sobrava de negociantes ricos da capital transferia seus fundos para Franqa, para livrarem-se de novas exigencias, e ate fallavam

�� �