Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/558

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


1122 DOM JOJLO VI NO BRAZIL

faria sentir a falta de distraccoes intellectuaes e de convivio mundano.

Nesta ordem de ideas entrou Palmella, uma vez afas- tado do ministerio, a advogar de novo contra Thomaz Antonio o qual, como eco da regia predilecgao, optava pela permanencia do monarcha no Rio de Janeiro a volta de Dom Joao VI para Portugal. Deixou assim de considerar me- Ihor alvitre a ida do Principe Real, que entre o partido euro- peu encontrava partidarios nos que julgavam Dom Pedro, pela sua mocidade, verdura e posigao . secundaria na dynastia, mais facil do que o Rei de ser avassallado pelas Cortes, cujos designios eram francamente anti-brazileiros. O fundamento do raciocinio era analogo nos que o queriam prender ao Brazil com o piano opposto de dirigil-o no sentido das preten- c,6es nacionaes.

A regencia do Principe podia encerrar perigos, mas o

��mella, forrar dos sens eomprouiissos religiosos Jose Silvestre Rehollo, depois <eiioaiTegado de negocios em Washington, que tinha promm- ciado a os 16 annos votos de franciscano e queria entnar para o mundo e a diploma cia.

Nao foi facultado a Funchal permanecer junto a Santa Sr, para onde foi despachado Pedro de Mello Breyner ; e como em Hespa- iilia nao (desse o ga binete mostras de preferir negocia^ao directa, nem Fernando VII de querer contrahir nova allian^a de familia com Dom Joao VI nscolhetido uma princeza da iSaxonia para se sentar 31 , throno de que tao II-OIH-O gnsara 1 a falLccida Infanta portugueza - e como ao mcsmo tempo se prolongasse a missao em Pariz de Pal- meUia e llariMlva. designou .I ]l -J{ei a J "unchal, om .Janeiro d(; 1819, para ser uni dos gov-ernadore s do IJi-ino. Nem bavia elle ainda rece- hido n cssa c.itocha as insj nn-(;oes (a credential < ln gara-lhe as maos tlcs do Maio -<Je 1818) para a ^ia h.v])o11ietic a m-issao, qiie se cit rara em <-orrer pela ]>osla. nitre 1 ari/ e l.ondres. Na forma do costume, recdM-Mido a noticia em Ahril, tardou Funchal em ir lomar posse do cargo: foi seca e meca, fez uo das aguas em Cheltenham, aUercou no sen idespeito com Thomaz Aji-ttmio deixou que. sohrevindo a revo- lugao liberal, ficasse sera effeito sua nomea(;ao, a qual alias recusou por se achar em desaccordo com as tcHrocx <l< xix>1ir<it< < mostrar gramde predilecgao pela politica de conciliagao.

No funido e.lle nao tin.ha vontade alguma de servir n aquelle caracter e n aquella ocotisiao. Si mcsmo a longa residencia na In- glaterra Ihe nao incutira alguns principios constitucionaes, a pessoa de Thomaz Antonio era-lhe antipathica, como de resto a nobreza em

�� �