Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/120

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 120 —



Tua estrella tão maga e tão pura,
Lá na extrema dos céus a brilhar,
Só fadou-te na vida que levas
Altos brios tão d'alma e sem par!
Gloria a ti que nos reges etc.
Nobre Accacio és fadado! — a tua fronte
É de um Luso que sabe inspirar, —
Que do mundo essas furias da vida
A seus pés só costuma rojar!
Gloria a ti que nos reges etc.
Sempre foste — porque o és — e p'ra sempre
O guerreiro que soube jurar!
Tua divisa é só uma — Deus — Patria —
E Rainha na Patria a reinar!
Gloria a ti que nos reges etc.
E agora que n'Africa reges
Com teus mandos — teus mandos sem par —
Ouve um hymno em nossa alma brotado,
E que d'alma soubeste infiltrar!
Gloria a ti que nos reges etc.