Página:Evocações.djvu/37

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


os arômas docemente fecundaram de amor e de sonhos.

E eu ficava por muito tempo a olhai-o, a olhal-o, a revêr-me na frescura candida d'aquella carne, a aspirar com avidez o perfume violento d'aquella flôr viva, considerando, meditando sobre todos os seus traços, sobre a expressão curiosa, de pequenina mumia, do seu corpo velludoso, como que embalsamado no óleo virtuoso de preciosas hérvas verdes e virgens.

Alli estava, emfim, quem me tornava de ora em diante soturno, calado, no extase mudo da contemplação, como sob o impressionante poder cabalistico, sob a eloquencia vidente de hyerogliphos mágicos...

E, assim mentalmente considerando, eu sentia o mais reverente, o mais profundo, o mais concentrado respeito, o affecto mais vibrantemente tocante, aureolado de lagrimas, pelo templo ma-gestoso e santo d'aquelle bello ventre, onde emfim se officiára a primeira Missa de Propagação perpetua.

Todas as perfeições espirituaes do ser que se liberta da materialidade vil, todos os anceios supremos pelas formas intangiveis das transcendentes sensibilidades, me transfiguravam, contemplando em silencio aquelle ventre precioso e bom,