Página:Fabulas de Esopo.djvu/47

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
47
DE ESOPO.


muitos homens que até as más obras que fazem, querem vender com boas palavras e que se lhes fiquem devendo. Porém a intenção dá á obra os quilates; quem me deo huma lançada por me matar, e me abrio o apostema, que me matava, não foi amigo, posto que me causou saude. Porém devo-a só a Deos, que por mão do inimigo ma quiz dar.

FABULA XV.
A Bogia e a Rapoza.

Rogava a Bogia á Rapoza que copiasse a metade do seu rabo, e lhe désse, dizendo: Bem vês que o teu rabo arroja e varre a terra, e he defeito por demasiado; o que delle sobeja me po