Página:Flores do Mal (1924).pdf/214

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Adeus, cantos gazís, meigas orquestrações!
Prazeres, não tenteis meu peito sem calor!

Perdeu a Primavera o seu perfume e côr!

O Tempo, dia a dia, afunda-me consigo,
Como a neve cobrindo um corpo regelado;
Do alto, vejo a meus pés o globo arredondado,
Onde nem já procuro o mais pequeno abrigo!

Avalancha, não quer’s sepultar-me comtigo?